terça-feira, 25 de setembro de 2018

Dia Nacional de Adotar um Animal será comemorado pelo 18º ano consecutivo


A solução dos problemas que afligem os animais envolve primordialmente a conscientização. É preciso despertar as mentes e o envolvimento sentimental das pessoas, coisas que o dinheiro não compra, necessitam ser conquistados através de um trabalho sério e responsável, caracterizado pela transparência e credibilidade.

Divulgar os princípios da posse responsável e estimular a adoção é um excelente caminho, permitindo que cada vez mais pessoas tomem conhecimento das ações que estão sendo desenvolvidas pelos verdadeiros protetores dos animais. Os resultados são sempre muito positivos e incentivarão o exercício da cidadania no próximo dia 4 de outubro.

Infelizmente o abandono está aumentando no Brasil, inclusive raça pura e pedigree já foram garantia de conforto e bons tratos para cães e gatos. Não são mais. Atualmente, 30% dos bichos abandonados tem raça definida.

Os motivos para o abandono variam muito. Pode ser ocasionado pela mudança de casa ou o envelhecimento do animal ou simplesmente porque a pessoa descobre que não tem condições e nem disposição para criá-lo.

A aplicação de uma política nacional que vise controlar a superpopulação, implantando leis que especifiquem as responsabilidades do tutor, somada a um eficiente trabalho desenvolvido pelos CCZs, garantiria uma qualidade de vida para os animais..

As pessoas que adotam os animais abandonados devem estar cientes que precisam oferecer uma condição de vida digna. Resgatar os animais, sem poder oferecer a eles uma qualidade de vida, envolvendo: atenção, higiene, cuidados veterinários, alimentação saudável e principalmente espaço para eles se movimentarem, não é uma atitude correta. Antes de levar o animal para a casa é preciso estar consciente que ele estará criando uma dependência de seus cuidados e que não poderão ser rejeitados nunca mais.

O adotante precisa saber que o animal necessita ser protegido, sem perder a identidade. Jamais deve-se amontoar animais em casa, como se eles fossem seres inanimados, Eles precisam se sentir bem no local, caso contrário podem ficar doentes ou muito agressivos. É preciso respeitar a liderança criada entre eles, tudo precisa ser muito bem planejado, para evitarmos que uma ação que parece ser muito bem intencionada se transforme num sofrimento devido a brigas constantes.

O dia 4 de outubro, dia de São Francisco de Assis, o verdadeiro protetor dos animais se consagrou como o Dia Nacional de Adotar um Animal. Existem milhares à espera de uma chance. Uma chance de encontrar comida, um teto, saúde e carinho. Enfim, de encontrar uma família, que possa tratá-los com respeito e dignidade.

A  minha proposta ao idealizar esta iniciativa é conseguir conscientizar as pessoas nos mais variados segmentos da sociedade . Ver florescer no coração das pessoas sensíveis a vontade de promover a adoção responsável e produzir excelentes resultados em prol dos animais. O lema desta campanha educativa é:-"Plante a semente da caridade. Colha os frutos do amor".



Autoria: Vininha F Carvalho


quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Animal doente requer tutor consciente para se recuperar



Muitas pessoas acreditam que para ser considerado um tutor de um animal de estimação basta ter uma casa ampla e recursos financeiros para garantir o pagamento de funcionários, as consultas no veterinário e a aquisição de alimentos e medicamentos. Mas, isto não representa a realidade, é necessário estar disposto a amar e sofrer, proporcionando grande vínculo afetivo nos momentos que o animal precisar, ou seja, jamais abandoná-lo quando estiver doente. Às vezes as pessoas não reconhecem a importância do amor incondicional e se esquecem de que eles são seres muito especiais, e devem ser tratados com carinho neste momento.

Os animais entendem a situação dos tutores, em caso de sofrimento, e com frequência tentam oferecer conforto ou apoio para tentar ameniza-lo. É comum os animais colocarem sua sensibilidade em prática. Alguns são capazes até de identificar sintomas de doenças graves.

Um estudo realizado pela Universidade da Pensilvânia identificou que alguns cães são capazes de identificar o câncer de intestino, pele, ovário, bexiga, mama e pulmão. Eles mostram agitação quando percebem que o tutor está doente, devido ao fato das 220 milhões de células olfativas presentes no focinho canino. Quando um cão fareja em busca de câncer ele encontra compostos orgânicos voláteis emitidos pelo tumor (VOCs).

Max, um cão da raça colllie detectou o câncer de sua tutora Maureen. Ele estava se mostrando muito desanimado. Numa oportunidade, encostou a cabeça no peito dela e ficou desesperado. Ela que já suspeitava do problema, compreendeu a mensagem e foi ao hospital, onde realizou alguns exames, cujo resultado apresentou câncer de mama. O tumor foi retirado e o cão voltou a ficar alegre.

A impressionante fidelidade dos cães já foi destaque no cinema. A história de Hachiko, o cão que esperava seu tutor chegar do trabalho, todos os dias, na mesma hora na estação de trem em que ele chegava é um exemplo típico. O tutor sofreu infarto enquanto estava trabalhando e morreu. A partir desta data ele não voltou mais, mas Hachiko continuou o esperando, fez isso durante nove anos, até morrer também. As pessoas que acompanharam essa história o homenagearam com uma estátua, no lugar em que permaneceu esperando o seu tutor, na estação de Shibuya, no Japão.

Casos como estes citados, nos deixam impressionados como a lealdade expressada pelos cães é uma característica rara e, que merece ser muito valorizada. Isso contraria os que pensam que para ter um animal em casa basta simplesmente pagar a comida, remédios e fazê-lo balançar o rabo quando o encontra. Eles necessitam de muito mais que isto para terem respeitados seus direitos.

Não existem mais dúvidas sobre a senciência dos animais. Ele tem capacidade de sentir dor ou prazer. As pessoas devem tomar consciência de que tratar os animais com dignidade não é caridade, mas representa cumprir um direito a eles pertencente. A ética estabelece que eles devam ser respeitados e o amor dedicado retribuído à altura. Atualmente vêm ganhando cada vez mais espaço, a ideia que a presença do tutor ao lado de um animal doente aumenta muito a possibilidade da sua recuperação. Os sentimentos mais nobres são o melhor complemento para ele superar a doença e voltar a ser feliz no seu lar.

Lembre-se: 4 de Outubro é o Dia Nacional de Adotar um Animal



Autoria: Vininha F. Carvalho


sexta-feira, 17 de agosto de 2018

O veganismo garante benefícios à saúde das pessoas e animais




A filosofia de vida vegana rejeita qualquer alimento ou bem de consumo obtido pela exploração animal. No Brasil, a demanda por produtos veganos esta crescendo muito, seja por motivos religiosos, defesa dos animais, ou pela busca por qualidade de vida, cada vez mais pessoas estão aderindo ao veganismo,

O adepto desta dieta necessita de uma alimentação rica e balanceada com leguminosas, sementes, frutas, vegetais e cereais. Dessa forma, o indivíduo está menos propenso a desenvolver doenças cardíacas, diabetes, câncer, sobrepeso, obesidade e problemas gastrointestinais.

Já pensou em experimentar mais alimentos crus? Essa é a ideia da alimentação viva, que preza pelas comidas orgânicas cruas, ou seja, não cozidas, que estão em seu estado natural, sem serem processadas ou refinadas. Ela é baseada no conceito de que as altas temperaturas destroem os nutrientes e os fitoquímicos, que são fundamentais para a saúde. Pode-se também incluir nas refeições grãos germinados e frutos frescos e secos.

A presença de cães e gatos nos lares brasileiros aumenta a cada ano. Um levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em parceria com a Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet) mostrou que o Brasil tem a segunda maior população de pets do mundo, com 22,1 milhões de felinos e 52,2 milhões de cachorros. É comum que pessoas vegetarianas ou veganas queiram estender sua alimentação aos animais de companhia. 

Mas mesmo este universo apresentando números expressivos, com mais de R$20 bilhões de faturamento no Brasil, o país oferece raras opções de alimentos vegetarianos ou veganos. Ainda que os cães e gatos sejam vistos como animais carnívoros, o fornecimento de fontes de fibra na dieta, principalmente dos cães, é um procedimento bastante comum. Isto se deve ao fato de as fibras atuarem de forma efetiva no processo digestivo, contribuindo para o bem-estar do animal.

A aproximação dos animais domésticos, que acompanham a rotina de atividades físicas escassas, sedentarismo e excesso de calorias de seus tutores contribuem para uma doença nutricional cada vez mais comum: a obesidade. Estima-se que cerca de 20% dos cães brasileiros estejam acima do peso recomendado. As necessidades nutricionais de cães e gatos podem ser atendidas plenamente com uma dieta especial sem carnes e equilibrada.

A alimentação a base vegetal tem excelente assimilação e alto grau de digestibilidade e é indicada para todos os portes de cães e gatos. Diante desse fato, faz sentido a introdução de alimentos que sejam 100% formulados com ingredientes vegetais na dieta regular dos animais, desde que respeitem as necessidades nutricionais e tragam em sua composição os aminoácidos, vitaminas e fontes de energia adequada, permitindo assim, o controle do peso e garantindo uma vida mais longa e saudável.

A escolha da alimentação depende dos ingredientes que ela traz, composições com arroz, milho, levedura, farinha de linhaça, beterraba e a associação com ômegas (3 e 6,) pré e probióticos, que melhoram o funcionamento da flora intestinal, aminoácidos e vitaminas garantem uma alimentação completa para o animal.

- Abaixo os principais alimentos que não podem faltar no cardápio de quem não consome nada de origem animal. Confira:

- Chia e linhaça:

Essas duas sementes são boas fontes de fibras e proteína vegetal. Elas ainda contêm ácidos graxos e ômega-3, que auxiliam no controle da pressão e colesterol.

- Vegetais verdes-escuros

São ricos em água e fibras e contribuem para que a proteína presente em outros alimentos seja melhor absorvida.

- Feijão:

O feijão é rico em carboidratos complexos e possui também vitaminas, ferro e antioxidantes em abundância.

- Cogumelos:

Os cogumelos são ricos em proteínas e uma ótima opção para substituir a carne, além de possuir nutrientes que estimulam o desenvolvimento do sistema imunológico.

- Tomate:

Além de conter diversos nutrientes benéficos para o nosso organismo, o tomate é uma fonte rica em vitamina C e A..

- Soja:

A soja é fonte de proteína magra e possui vários benefícios para a saúde, entre eles a redução do mau colesterol. Esse alimento é rico em ácido fólico, cálcio, magnésio, zinco e vitamina K.

Para seguir este caminho de maneira adequada é preciso consultar um nutricionista, que poderá conduzir a mudança de acordo com as necessidades particulares do organismo de cada pessoa. Realizar exames de sangue de rotina também é muito importante.


Fonte: Vininha F. Carvalho




quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Equoterapia proporciona alívio nos sintomas do estresse


A equoterapia é um tipo de terapia que utiliza os cavalos e pode ser indicada como recurso terapêutico na fisioterapia porque ela alcança inúmeros benefícios posturais. O andar do cavalo provoca uma série de reações no corpo do paciente, fazendo com que ele esteja sempre em busca do seu próprio equilíbrio.

Ela serve para complementar o tratamento de indivíduos com deficiências ou necessidades especiais, como a síndrome de Down, paralisia cerebral, derrame, esclerose múltipla, hiperatividade, autismo, estresse, crianças muito agitadas ou com dificuldade de concentração.

O cavalo como instrumento de reabilitação e equilíbrio, busca o desenvolvimento físico, psíquico e social do indivíduo, além de uma melhor autonomia.

Para o tratamento de deficientes com cavalo é necessário frequentar um local específico, pois o cavalo deve ser manso, dócil e bem treinado para que os resultados do tratamento não sejam comprometidos. Durante todas as sessões é importante, além do treinador do cavalo, a presença de um terapeuta. Geralmente, as sessões duram cerca de trinta minutos e são realizadas uma vez por semana.

O contato direto do praticante com o animal provoca grande satisfação, é possível sentir respeito, carinho, segurança, além da imensa sensação de liberdade.

O ambiente deve estar localizado longe da agitação do centro da cidade, propiciando um contato mais estreito com a natureza, se transformando num momento relaxante para os praticantes. Além disso, a troca de carinho com o cavalo também contribui para aliviar as tensões e melhorar a postura que pode ser prejudicada devido ao cansaço do corpo.

Os profissionais que atuam nesta área devem estar preparados para se dedicar àqueles que precisam de atenção, superando as dificuldades sempre com bom humor e deixando os praticantes sempre à vontade durante as sessões. Precisam saber trabalhando para minimizar os sintomas que rodeiam os vários tipos de doenças físicas e mentais. A depressão, a tristeza, fortes dores de cabeça, síndrome do pânico podem receber um grande auxilio na recuperação e tratamento através desta terapia.

Autoria: Vininha F. Carvalho