sexta-feira, 23 de agosto de 2019

Cão de guarda eficiente deve saber obedecer ao tutor


Os cães para guarda patrimonial se tornaram extremamente importantes no cotidiano do Século XXI. Eles devem desconfiar de toda e qualquer pessoa estranha e não devem receber estranhos em seu território sem que seu tutor autorize. Por isto, eles devem ser adestrados para saber diferenciar os tipos de estranhos: os intrusos e as visitas.

O cão deve ser bem socializado com pessoas e outros animais enquanto ainda filhote, para que sempre que o tutor autorizar a entrada de estranhos em casa, neste caso, visitas, o cão não venha a atacá-los.•.

Como os cães de guarda têm por sua natureza a postura dominante e, em última instância, agressiva para estranhos, não são cães para tutores inexperientes ou que não consigam lidar com situações que necessitem de se impor para o animal.

Para que sejam cães equilibrados, estes devem ser bem socializados e treinados por profissionais qualificados e que recebam o treinamento de obediência antes de qualquer outro. O cão de guarda eficiente deve saber obedecer ao tutor, caso contrário pode tornar-se uma ameaça para o mesmo.

Os adestradores incentivam e ensinam o tutor a realizar o treinamento adequado. É preciso saber despertar no animal o senso de convivência, ajudando de esta forma prevenir um temperamento descontrolado.

A procedência é um aspecto essencial. Antes de levá-lo para casa, é preciso saber de onde vem. Criadores idôneos são pessoas que se dedicam, praticamente, em tempo integral à sua criação. Que pesquisam e se preocupam em escolher padreadores corretos, que se preocupam com o temperamento do cão, com a saúde de cada animal. Não são pessoas que estão vendendo filhotes porque suas cadelas cruzaram acidentalmente.

Criadores sérios mantêm o canil limpo, seus cachorros são bem tratados e estão à disposição para serem visitados qualquer hora do dia. Seus cachorros não são uma matilha gigante afastados da casa, fazem parte da família.

A escolha do filhote certo exige cuidado. Os especialistas em adestramento ensinam que o melhor animal não é o filhote brincalhão nem o mais tímido. O meio termo é a melhor opção.

Por se tratarem de animais muito fortes, é recomendado que na hora da aquisição de um cão de guarda, seja feita uma busca para localizar um criador que inspire confiança, pois essa será a garantia de ter um cão equilibrado e saudável.

O verdadeiro criador busca encontrar pessoas responsáveis para cuidar dos filhotes de animais considerados perigosos, não permitindo a extinção de algumas raças por serem difamadas na sociedade.

A responsabilidade por danos causados por animais está prevista nos artigos 1527 e 159, ambos do Código Civil, de maneira que o proprietário do animal que não o guardar com as devidas cautelas responde civilmente por culpa pelos danos que ele vier a causar às pessoas, devendo indenizar a vítima. Na esfera penal o proprietário do animal pode responder ainda como incurso no artigo129, parágrafo 6° do Código Penal, ou no artigo 31 da Lei das Contravenções Penais, que considera contravenção não guardarem com a devida cautela um animal perigoso.



Autoria: Vininha F.Carvalho 

Nenhum comentário:

Postar um comentário