terça-feira, 31 de março de 2020

Chocolate para consumo humano jamais deve ser oferecido aos pets


Quanto maior a quantidade de cacau, ou seja, mais amargo o chocolate, pior serão os sintomas e a gravidade da intoxicação.

Estamos a poucos dias da Páscoa, sinônimo de comida gostosa, muito chocolate e família reunida. Para os tutores de animais domésticos esta data é um período que requer atenção extra. Ao esconder os ovos de Páscoa para divertir as crianças, certifique-se de que o animal não encontrará essa delícia antes delas.

Chocolate para consumo humano jamais deve ser oferecido aos cães e gatos, pois ele possui teobromina e cafeína, que são extremamente tóxicos para eles, causando desde vômito, diarreia, febre, convulsão, coma e até óbito. Os sintomas da intoxicação variam de acordo com o tamanho do animal, a quantidade e a qualidade do produto ingerido. Quanto maior a quantidade de cacau, ou seja, mais amargo o chocolate, pior serão os sintomas e a gravidade da intoxicação. Os sintomas não são imediatos e podem iniciar após um intervalo de seis a 12 horas. As reações podem perdurar por até dois ou três dias culminando até em hemorragia intestinal grave

Além do chocolate, pimenta, casca e folhas de abacate, café, carambola, macadâmia, sementes de maçã e pera são alguns dos alimentos que podem também envenenar cães e gatos. O alho e a cebola, tradicionais temperos nos pratos brasileiros, afetam as hemácias dos animais e se ingeridos em grande quantidade podem gerar sérias complicações. Esses ingredientes possuem, respectivamente, dissulfeto de alipropila e tiossulfato, substâncias podem ocasionar vômitos, diarreia, fraqueza e anemia em cães. A uva e uva passa são alimentos muito tóxicos, podendo até levar ao óbito devido a problemas renais em cães.

Quem tem jardim em casa deve ter atenção redobrada com animais. Eles adoram brincar, cavar e comer folhas e flores. No entanto, algumas espécies de plantas, como antúrio, azaleia, espada de são Jorge e bico de papagaio são extremamente tóxicas. Eles devem ficar bem longe, também de: mamona, lírio, babosa, violeta, begônia, coroa de cristo, hibisco, dama da noite, samambaia, hortênsia, arruda, tulipa, comigo ninguém pode, espirradeira e copo de leite.

Os principais sintomas que o animal apresenta, são: quadros de salivação excessiva e com espuma, vômito, diarreia, dificuldade para caminhar, desequilíbrio, tremores, dificuldade para respirar, convulsão, sangue na urina e diminuição da frequência cardíaca. Além disso, é preciso observar se ele está sonolento, apático, desorientado ou com as pupilas dilatadas ou contraídas. Os sintomas também variam de acordo com o tipo de substância que foi ingerida.

Em caso de ingestão acidental, a recomendação é levar o animal para uma clínica veterinária o mais rápido possível. O tratamento se dá com muita hidratação, uso de protetor gastrointestinal, antitóxico e, quando a ingestão é recente, pode-se tentar a lavagem estomacal.


O mercado pet está preparado para oferecer alimentos de qualidade para todos os tipos de animais, espécies, idades e características específicas. Os alimentos específicos para animais de estimação são feitos com produtos frescos e com componentes, vitaminas e tudo mais que eles precisam na quantidade certa para garantir o total funcionamento do seu organismo. Escolher um alimento de qualidade é garantir que o animal estará sempre saudável e sem o risco de ser intoxicado, inclusive consumindo um ovo de páscoa feito especialmente para eles.


Autoria:  Vininha F. Carvalho - jornalista, economista, administradora de empresas e editora do Animal Livre News

Nenhum comentário:

Postar um comentário